15 julho 2006

Depois falam de nossa Polícia...

Notícia publicada no The London Times sob o título Nenhum Policial será Acusado pela Morte de Menezes

Nenhum Policial será acusado pela morte de Menezes
Por Stewart Tendler, Correspondente Criminal
Mas Sir Yan Blair está sujeito a mais revelações embaraçosas, uma vez que a Scotland Yard deve enfrentar acusações dobre saúde e segurança acerca da desastrosa operação
NENHUM POLICIAL será julgado pelo assassinato em Stockwell, mas a Scotland Yard deve responder a acusações pelas leis de saúde e segurança


A descisão deve causar novos embaraços para Sir Yan Blair, o Comissário da Polícia Metropolitana. Um julgamento em Old Bailey vai ventilar publicamente as falhas na operação onde Jean Charles de Menezes morreu e sobre como a força funciona sob o Comando de Sir Yan.

De acordo com fontes de Whitehall, a Procuradoria da Coroa vai anunciar, na segunda feira, que a Scotland Yard será processada por falhar em seu "dever de zelar" [pela segurança] do Sr Menezes, um brasileiro que foi morto em 22 de julho do ano passado em uma atrapalhada operção de contra-terrorismo. Sir Yan será intimado, em nome da Polícia. Ele não vai estar no banco dos reús, porém ele e muitos oficiais superiores podem ser interrogados.

Um oficial superior declarou que umaq tal acusação seria "ultrajante" [nota do tradutor: vá à merda!] e que a Polícia Metropolitana lutará furiosamente no tribunal [nota do tradutor: vá à merda de novo! Eles pelo menos terão direito de defesa]. Os Comandantes sustentam que a Scotland Yard enfrentava uma emergência sem precedentes no dia em que o Sr. Menezes morreu. [nota do tradutor: "morreu", o cacete!... Foi covardemente assassinado!].
.
O tiroteio ocorreu um dia depois que quatro homens falharam em colocar bombas em trens de metro e um ônibus. O Sr. Menezes foi confundido com um dos suspeitos de terrorismo e e foi seguido desde que deixou seu apartamento e tomou um ônibus para a estação de Stockwell. Ele foi atingido por sete disparos na cabeça, dentro do vagão de metro. Um processo por saúde e segurança significará uma multa ilimitada a ser aplicada na autoridade policial, mas a família de Menezes lutará contra qualquer decisão de não acusar os policiais.

Ontem, um porta-voz da Campanha "Justice4Jean Family" disse que Michael Mansfield, QC, um dos maiores crimnologistas, foi posto sob alerta para apelar por uma revisão judicial, se não forem feitas acusações criminais.

A família vê uma acusação de saúde esegurança como uma opção de "panos quentes", mas a CPS acredita que o ponto crucial do que aconteceu reside nas falhas da Yard e não em indivíduos [nota do tradutor: a Yard é composta por indivíduos que mostraram ser incompetentes e incapazes para seus cargos; o resto é, em bom inglês, "bullshit"]. Pode igualmente ser muito difícil apontar culpados e obter uma acusação de sucesso. Uma acusação de saúde e segurança seria vista pela CPS como uma boa solução de compromisso [nota do tradutor: boa para quem?].
.
Um relatório da Comissão Independente de Queixas contra a Polícia, enviada à CPS indicia 11 oficiais e discute as potenciais acusações, mas não faz qualquer recomendação. Entende-se que o relatório diz apenas que a CPS "pode desejar considerar" acusações de assassinatocontra a Comandante Cressida Dick, a oficial encarregada das equipes táticas armadas, e os dois peritos atiraqdores [leia-se: assassinos com um distintivo] que matarm o Sr. Menezes.

Durante as investigações a Srta. Dick e os oficiais se contradisseram sobre se a ordem para o uso de armas de fogo foi dada. A IPCC também investigou uma alteração feita nos registros dos Serviços Especiais da vigilância.

Um processo sob a Lei de Saúde e Segurança de 1974 se apoiaria na dúvida de se a polícia tomou todas as precauções práticas e razoáveis para proteger o Sr, Menezes. [isso só pode ser sacanagem!... tomaram providências sim: onze disparos à queima-roupa em um cara desarmado, subjugado no chão do vagão...]

Muitos anos atrás, o predecessor de Sir Yan, Lord Stevens of Kirkwhelpington e o Lord Condon, outro antigo comissário, foram processados com base na Lei de Saúde e Segurança, por causa da morte de um policial durante uma perseguição sobre telhados. Eles foram inocentados e a lei foi mudada de forma a que os chefes não possam ser pessoalmente acusados por crimes contra a saúde e segurança praticados por forças policiais.


Da mesma forma que W. Bush tomou uma porrada da Suprema Corte, a respeito dos KZ de Guantánamo, eu espero que a Justiça Britânica dê uma porrada neste crápula do Yan Blair e seus esbirros.

Mas o próximo inglês que vier me mencionar o Carandirú ou Eldorado dos Carajás vai tomar uma porrada nos cornos.

P.S: o The Guardian publica uma notícia de teor semlhante,

Um comentário:

ghusky disse...

João, muito bom tu ires buscar notícias internacionais. Porque como sabemos, as verdades variam.